FARO 1540

Associação de Defesa e Promoção do Património Ambiental e Cultural de Faro

MOÇÃO APROVADA EM ASSEMBLEIA-GERAL POR UNANIMIDADE E ACLAMAÇÃO

A "FARO 1540" torna pública na sua página electrónica, a moção que foi aprovada por unanimidade e aclamação na sua última Assembleia-Geral, realizada no passado dia 17 de Dezembro, onde é pedida a devolução a Faro da biblioteca do Bispo do Algarve ...

ENTREVISTA DO NOSSO PRESIDENTE NO JORNAL DE FARO

ENTREVISTA DO NOSSO PRESIDENTE NO JORNAL DE FARO

A entrevista integral com o presidente da "FARO 1540", Bruno Lage no Jornal de Faro, em: http://www.jornaldefaro.com/?p=889 Proposta de roteiro “Conhecer o concelho de Faro” por parte do entrevistado em:  http://www.jornaldefaro.com/?p=898

FARCUME NO CROWDFUNDING PORTUGAL

FARCUME NO CROWDFUNDING PORTUGAL

A "FARO 1540" já se encontra a preparar a 4ª edição do FARCUME: Festival de Curtas-Metragens de Faro, estando a empenhar-se activamente para que esta seja a maior e melhor edição de sempre. Para já, e a cerca de 4 meses do encerramento ...

UM “LIKE” POR UMA ÁRVORE

UM LIKE POR UMA ÁRVORE

A “FARO 1540″ está a lançar uma campanha ecológica. Por cada “like” nas páginas no Facebook da “Faro 1540” e “Farcume” vamos plantar uma árvore autóctone em terrenos de aptidão florestal. A plantação vai decorrer no âmbito da Semana de Reflorestação Nacional. Colabora clicando ...

Março, mês dos 3 Ws

Março, mês dos 3 Ws

- Workshop de Mandarim (a decorrer durante todo o mês de Março de terça a quinta-feira) - Workshop de Introdução ao mundo da Apicultura (dia 16 de Março das 9h30 às 17h30) - Workshop de Ovos de Chocolate (dia 17 de Março de manhã) Durante ...

ASSOCIADOS

ASSOCIADOS

Para ser um dos associados da "FARO 1540", caso seja proposto por um sócio efectivo, apenas terá que preencher a proposta de associado e anexar uma fotografia. Caso se auto-proponha como associado efectivo, deverá enviar para a "FARO 1540" um pequeno CV ...

FARCUME CHEGA AO BRASIL

FARCUME CHEGA AO BRASIL

O FARCUME: Festival de Curtas-Metragens de Faro, realizado anualmente pela associação “FARO 1540”, vai ter uma extensão no Brasil e será realizada na cidade de Boa Vista no estado de Paraíba. Este projecto surgiu de um conjunto de reuniões que tiveram início em ...

NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO

NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO

A “FARO 1540” fiel aos seus princípios e à defesa da língua e cultura portuguesa sempre utilizou a norma ortográfica antiga nas suas comunicações escritas. Chegado ao ano 2013, a “FARO 1540” deliberou em reunião de Direcção manter esta orientação em virtude ...

Convívio “1540″ – Aberto a Associados

Convívio 1540 - Aberto a Associados

A Faro1540 dispõe a partir de hoje um espaço de lazer dirigido a todos os associados. Este espaço funcionará durante todas as actividades regulares semanais promovidas pela Faro1540, com especial destaque ás terças e sextas-feiras, com eventos temáticos. Público em geral também está convidado ...

BOOKCROSSING, agora em Faro…

BOOKCROSSING, agora em Faro...

O conceito de BOOKCROSSING está já bem implantado em todas as sociedades modernas. Portugal aderiu mais recentemente a este movimento, mas actualmente encontra-se já em igualdade com os principais países da Europa, representando neste momento uma das maiores correntes a nível Europeu. O BOOKCROSSING ...

Escaravelho das Palmeiras

Á poucos anos, 2007, surgiu em Portugal uma praga de insectos, sendo o seu nome científico de Rhynchophorus ferrugineus, conhecido vulgarmente por escaravelho das palmeiras, que ataca mortalmente algumas espécies de palmeiras, causando graves prejuízos económicos e ambientais. Originário das zonas tropicais, da Ásia e Oceânia, a sua expansão iniciou-se no Médio Oriente entre as décadas de 80 e 90. Atingiu a Espanha em 1993, a Itália em 2004 e Portugal em 2007, devido ao comércio de palmeiras.

O Rhynchophorus ferrugineusa é um insecto de cor vermelha-alaranjada, roedor, que se desenvolve no interior do tronco da palmeira, alimentando-se deste. Tendo uma preferência especial pela Palmeira das Canárias, de nome científico Phoenix Canariensis, muito comum em Portugal e Espanha. O Rhynchophorus ferrugineus faz um ataque localizado, alimentando-se da coroa da planta, matando uma Phoenix canariensis adulta em poucos meses! Os sintomas mais visíveis são o descaimento das folhas mais velhas e folhas novas com aspecto defeituoso recortado e que secam sem razão aparente. A morte chega quando a planta seca completamente. Uma vez destruída (morta) a palmeira, o Rhynchophorus ferrugineus move-se para outra palmeira, iniciando um novo ciclo.

O nosso património ornamental está a ser dizimado por esta praga, que tem causado a morte a inúmeros exemplares de palmeiras sendo algumas centenárias, como exemplo as palmeiras do Jardim Manuel Bívar em Faro, onde 5 exemplares de Phoenix Canariensis foram abatidos. Já nada podia ser feito para as salvar. É de todo o interesse e importância, o combate a esta praga, para que se possam salvar o maior número possível de palmeiras. Dada a gravidade desta praga, a União Europeia considerou esta praga de luta obrigatória através da Decisão 2007/365/CE que estabelece medidas de emergência contra a sua propagação.

Todos nós em consciência social temos de ter a sensibilidade para combater esta praga, que tanto pode começar no nosso jardim como pode chegar ao nosso jardim vindo de palmeiras próximas (até 5 km). Ataca palmeiras de privados ou de jardins públicos, pois não tem noção das delimitações.

A luta contra a disseminação desta praga é particularmente difícil em virtude do insecto desenvolver-se no interior da planta o que lhe confere protecção contra a acção dos insecticidas. O problema adensa-se porque é difícil identificar a infestação antes de uma fase avançada. Pois uma palmeira pode estar infectada, mesmo que não mostre sintomas visíveis durante meses. A melhor opção é a prevenção mas mesmo assim não ha garantia de erradicação da praga.

Atendendo ao facto de não existir para já um plano regional de apoios é aconselhável a particulares fazer tratamentos preventivos e a remoção das palmeiras mortas, para que não sejam um foco de infestação para as palmeiras próximas que ainda se encontrem em bom estado. Quando se plantar novas palmeiras escolher outro tipo de palmeiras que sejam resistentes a esta praga. Em última atitude a não colocação de palmeiras é um aspecto a considerar optando por outro tipo de árvores ornamentais.

Tendo a noção dos prejuízos económicos e ambientais causados pela praga é urgente que tomemos uma atitude – combater a praga! Que haja uma rápida actuação das entidades Públicas, nomeadamente regionais, ao divulgar procedimentos e mobilizar meios e protocolos para que o preço do abate diminua e um plano regional de apoios para que todos possam beneficiar, sobretudo a região!

Eng.ª Cristina Carvalheira