FARO 1540

Associação de Defesa e Promoção do Património Ambiental e Cultural de Faro

Março, mês dos 3 Ws

Março, mês dos 3 Ws

- Workshop de Mandarim (a decorrer durante todo o mês de Março de terça a quinta-feira) - Workshop de Introdução ao mundo da Apicultura (dia 16 de Março das 9h30 às 17h30) - Workshop de Ovos de Chocolate (dia 17 de Março de manhã) Durante ...

MOÇÃO APROVADA EM ASSEMBLEIA-GERAL POR UNANIMIDADE E ACLAMAÇÃO

A "FARO 1540" torna pública na sua página electrónica, a moção que foi aprovada por unanimidade e aclamação na sua última Assembleia-Geral, realizada no passado dia 17 de Dezembro, onde é pedida a devolução a Faro da biblioteca do Bispo do Algarve ...

3º FARCUME – Festival de Curtas-Metragens de Faro

3º FARCUME - Festival de Curtas-Metragens de Faro

A FARO 1540 – Associação de Defesa e Promoção do Património Ambiental e Cultural de Faro, após o sucesso alcançado nas duas  edições anteriores do FARCUME – Festival de Curtas-Metragens de Faro, decidiu organizar a 3ª edição deste Festival de Curtas que ...

UM “LIKE” POR UMA ÁRVORE

UM LIKE POR UMA ÁRVORE

A “FARO 1540″ está a lançar uma campanha ecológica. Por cada “like” nas páginas no Facebook da “Faro 1540” e “Farcume” vamos plantar uma árvore autóctone em terrenos de aptidão florestal. A plantação vai decorrer no âmbito da Semana de Reflorestação Nacional. Colabora clicando ...

FARCUME CHEGA AO BRASIL

FARCUME CHEGA AO BRASIL

O FARCUME: Festival de Curtas-Metragens de Faro, realizado anualmente pela associação “FARO 1540”, vai ter uma extensão no Brasil e será realizada na cidade de Boa Vista no estado de Paraíba. Este projecto surgiu de um conjunto de reuniões que tiveram início em ...

ASSOCIADOS

ASSOCIADOS

Para ser um dos associados da "FARO 1540", caso seja proposto por um sócio efectivo, apenas terá que preencher a proposta de associado e anexar uma fotografia. Caso se auto-proponha como associado efectivo, deverá enviar para a "FARO 1540" um pequeno CV ...

NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO

NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO

A “FARO 1540” fiel aos seus princípios e à defesa da língua e cultura portuguesa sempre utilizou a norma ortográfica antiga nas suas comunicações escritas. Chegado ao ano 2013, a “FARO 1540” deliberou em reunião de Direcção manter esta orientação em virtude ...

ENTREVISTA DO NOSSO PRESIDENTE NO JORNAL DE FARO

ENTREVISTA DO NOSSO PRESIDENTE NO JORNAL DE FARO

A entrevista integral com o presidente da "FARO 1540", Bruno Lage no Jornal de Faro, em: http://www.jornaldefaro.com/?p=889 Proposta de roteiro “Conhecer o concelho de Faro” por parte do entrevistado em:  http://www.jornaldefaro.com/?p=898

FARCUME NO CROWDFUNDING PORTUGAL

FARCUME NO CROWDFUNDING PORTUGAL

A "FARO 1540" já se encontra a preparar a 4ª edição do FARCUME: Festival de Curtas-Metragens de Faro, estando a empenhar-se activamente para que esta seja a maior e melhor edição de sempre. Para já, e a cerca de 4 meses do encerramento ...

BOOKCROSSING, agora em Faro…

BOOKCROSSING, agora em Faro...

O conceito de BOOKCROSSING está já bem implantado em todas as sociedades modernas. Portugal aderiu mais recentemente a este movimento, mas actualmente encontra-se já em igualdade com os principais países da Europa, representando neste momento uma das maiores correntes a nível Europeu. O BOOKCROSSING ...

SEMANA DA REFLORESTAÇÃO NACIONAL

A “FARO 1540″ vai pelo 2º ano consecutivo participar na Semana da Reflorestação Nacional onde pretende, à semelhança do ano transacto, plantar algumas centenas de árvores autóctones.

Este ano, o período de reflorestação está agendado para a semana compreendida entre 21 a 27 de Novembro.

Junta-te a nós!

Conclusões: 2º Seminário de Reabilitação Urbana e Desenvolvimento Sustentável

Decorreu no passado dia 7 de Outubro, no Auditório do Instituto Superior de Engenharia da Universidade do Algarve, a 2ª edição do Seminário de Reabilitação Urbana e Desenvolvimento Sustentável, organizado pela “FARO 1540” e que contou com a presença de cerca de uma centena de participantes, que puderam assistir a apresentações e debater temas como a Sustentabilidade de Cidades, Mobilidade Urbana, Recuperação de Edifícios, Regeneração Urbana, Paisagem e Património.

Como principais conclusões, a “FARO 1540” afirma que a reabilitação de edifícios degradados e a requalificação de ruas, passeios e praças é visto como uma ferramenta fundamental para a coesão da cidade, aumentando os seus níveis de qualidade de vida, atractividade e competitividade económica contribuindo de modo efectivo para a sua sustentabilidade e reforço da sua identidade e história.

No entanto, apesar de ser amplamente referenciada e debatida, a reabilitação urbana, não tem tido a aplicabilidade e a dimensão desejada, quer por falta de políticas incentivadoras, quer por falta de sensibilização e excesso de burocracia e entraves vários. Contudo, espera-se que os mil milhões de euros disponibilizados pelo programa Jessica (confirmado na última 3ª feira) aliado a um conjunto de medidas que visem a desburocratização dos processos de recuperação de edifícios e a existência de uma lei de arrendamento mais competitiva e flexível permita lançar de uma vez por todas o mercado de arrendamento no nosso país, condição considerada essencial para o sucesso da revitalização das cidades e optimização dos seus espaços.

Por outro lado, outro dos grandes temas debatidos neste seminário foi a mobilidade urbana, que também é um dos assuntos mais debatidos e que mais implicação tem na sustentabilidade das cidades. Para além dos acessos pedonais agradáveis há que aproveitar o nosso clima ameno para apostar na bicicleta criando uma rede de ciclovias seguras e apostar numa rede de transportes públicos eficientes, rápidos e cómodos coisa que até hoje não se conseguiu implementar no nosso país. Também é necessário abandonar a ideia de construir os equipamentos e as infra-estruturas colectivas de desporto, cultura, recreio e lazer fora das cidades, transformando as cidades em meros dormitórios, sem vida e sem alma e aumentando assim a dependência do transporte para esses locais.

As questões económicas não foram esquecidas e para muitos dos especialistas presentes neste evento a crise económica e financeira que agora estamos a atravessar é fruto de um desenvolvimento pouco sadio e baseado num conceito de capitalismo selvagem e sem ética, visando a maximização do lucro fácil em detrimento da qualidade de vida dos cidadãos e pelo respeito com o ambiente e seus recursos naturais. Para se ter uma pequena noção do que se passa, é de referir que apenas 2% dos fluxos mundiais de capitais está relacionado com a economia real. Ora isto é incomportável e o resultado está à vista! É urgente surgir uma nova economia e uma nova mentalidade que respeite o cidadão, que vise o seu bem-estar e que crie simbioses com o ambiente. Só assim será possível salvaguardar os recursos naturais e salvaguardar com qualidade e respeito a existência do ser humano e as gerações vindouras, sem nunca esquecer que apesar de este ser um problema global, as respostas mais eficazes são as que ocorrem à escala local.

Para finalizar, a organização agradece a ajuda preciosa dos seus parceiros, que contribuíram para o sucesso desta 2ª edição do Seminário de Reabilitação Urbana e Desenvolvimento Sustentável. A saber: Instituto Superior de Engenharia da UAlg, Banco Santander Totta, Vodafone, Revista Jardins, Jornal Arquitecturas, Jornal Barlavento, Lusoambiente e Hagábê Informática.